domingo, 26 de fevereiro de 2012

Campanha da Fraternidade 2012


Fraternidade e saúde Pública – Que a saúde se difunda sobre a terra (Ecl.º 38,8) 


Mais uma vez a Igreja Católica convoca a todos para pensar na saúde, como conseqüência do dom da vida. Socorrer o ser humano é um dever. A grandeza da humanidade se manifesta na relação com o sofrimento e com quem sofre.(Bento XVI Spe salvi 38). Cristo é o médico divino: escolheu a saúde para manifestar a proximidade de Deus. Em seu amor misericordioso restituiu a saúde do homem todo. Os evangelhos apresentam Cristo como Médico Divino cuidando da purificação do corpo e do espírito.
A Igreja Católica desde seu início preocupou-se com os necessitados e de modo especial com os doentes. Ela deve ser comunidade de amor que prolonga no tempo e na história a missão de Cristo. Fiel ao Mestre ela se empenha com a evangelização e no cuidado com os doentes. A Igreja como Mãe, a exemplo do samaritano da parábola de Cristo (Lc 10, 30-38) aproxima-se e cuida dos doentes, fracos, feridos, de todos que se encontram à margem do caminho. A Igreja entende também que a cura da doença do corpo é sinal de uma purificação mais profunda: o perdão dos pecados. Assim, a doença simboliza a situação humana das dores e sofrimentos, resultado de nossas injustiças, e pela fragilidade de nosso ser. É o homem todo que precisa ser curado. A Campanha da Fraternidade deve levar-nos a esperar por um novo céu e uma nova terra (Ap 21), desejando libertação e bem estar. A morte não mais existirá, nem luto, nem grito, nem dor, porque as coisas anteriores passaram (Ap 21,4). O homem é mortal, mas dirige-se com sua pessoa para vida eterna. A Igreja Católica, desde o início de nossa história no Brasil, prestou serviços pessoais, comunitários e com entidades como as Santa Casas de Misericórdia. E hoje, além disso, também com a organização da Pastoral da Saúde em todas as dioceses.
A saúde é o que se deseja, que é necessária. Esperamos e devemos cobrar das autoridades como resposta à nossa colaboração nos impostos, que zelem com mais cuidado pela saúde da população nos vários postos de atendimento e hospitais. Não se trata de favor nem compaixão só: é dever e obrigação.
Despertemos o espírito de fraternidade e comunitário das pessoas na atenção aos doentes nossos e da comunidade. Procuremos sensibilizar-nos para a prática de hábitos de vida saudável a partir das famílias, das escolas, das comunidades. A importância da Pastoral da Saúde deve levar-nos a uma organização mais prática interessando a quem diretamente cuida dos enfermos de todas as idades, como também ás pessoas que possam ajudar com sua contribuição para que outros cheguem até os que precisam desta assistência.
A Quaresma é este tempo da graça de Deus para nossa conversão de vida, o que exige mudanças de atitudes, de pensamentos, de sentimentos e atitudes, para vivermos de fato na graça de Deus. Oração, jejum, sacrifícios e atos de caridade, faz parte da vida e da caminhada de alguém que quer ser de Deus, discípulo de Jesus Cristo. É tempo das novenas da Campanha da Fraternidade nas famílias, de fazer uma santa confissão, de praticar atos de caridade e solidariedade, de modo especial, valorizando a vida e a saúde, e acolhendo a dor e os sofrimentos dos nossos enfermos. Queremos juntos fazer uma caminhada de renovação, que noutras palavras é páscoa, caminho para a Ressurreição, vencendo todas as doenças do coração, da alma e do nosso corpo; vencendo com a força de Jesus, todas as situações de morte presente em nossa vida e em nossas atitudes, e na nossa sociedade.

FONTE: www.diocesepontagrossa.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Coloque aqui o seu comentário. Deixe sua sugestão, elogio ou reclamação.
Obrigado por fazer este blog melhorar a cada dia!