quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Finados: Celebração da vida, não da morte!

por Ir. Delva Lozovey, OSF

“Por que buscais entre os mortos aquele que está vivo?” Lc 24,5
Comércio de flores e velas crescem no dia de finados (Foto: Denise Soares / G1)

Apesar da saudade e da separação física, o dia de finados é uma data na qual nossos entes queridos celebram a vida plena na presença de Deus. Estar na presença de Deus é uma graça para todos os que partiram da vida terrena.

Na eternidade, nossos falecidos (na terra) gozam profunda e plenamente das alegrias celestes por contemplarem a face do Pai. Quem contempla a face do Pai goza a segurança de viver para sempre a vida que não passa. Só na eternidade há plenitude de vida. Tudo o que na terra é passageiro, para a eternidade não tem sentido. 

Nosso modo de viver, do ponto de vista terreno, deve nos remeter para uma realidade que ultrapasse este mundo, pois a realidade terrena é breve e relativa; é através dela que devemos construir nosso paraíso na eternidade. A todos nós é concedida a oportunidade de viver neste mundo para nos prepararmos para a vida futura mas, muitos ainda fazem por perdê-la. 

Deus concede a liberdade a todos os seus filhos, tanto é que alguns vivem como se não tivessem vivido, passam pelo mundo preocupados em acumular bens e reputação e acabam por perder a essência do que nos é prometido pelo Pai. A promessa de Deus aos seus filhos é de uma vida em plenitude, onde todos estarão imersos na graça, na felicidade, no bem estar, no alegre convívio entre os eleitos. 

Para quem acredita e tem esperança, a morte é o coroamento e a passagem para a vida na graça, na presença d’Aquele que amamos ainda estando neste mundo. Do ponto de vista da fé, a morte faz parte da vida; é pela morte que chegamos à vida. Neste sentido entendemos o comportamento de São Francisco de Assis que, na hora de sua morte, agradecido convida os frades para, juntos com ele, louvarem a Deus pela “irmã Morte corporal” que se aproxima. Juntos, eles cantam o “Cântico do Irmão Sol” e, ainda neste momento, o santo acrescentou a última estrofe do Cântico bendizendo a Deus pela irmã morte corporal. Isto, sim, é acreditar na vida eterna! Para quem acredita e tem esperança, a morte é o começo de uma vida nova, na qual todos contemplarão a face do Pai. 

Neste dia de finados queremos pedir a Deus que nos conceda a graça de entendermos a dimensão da morte, ou seja, a dimensão da vida. Precisamos antecipar a vida celeste e vivê-la ainda neste mundo. Que a graça de Deus envolva nosso coração e nossa alma do desejo da antecipação da vida que há de vir. 

Que a celebração deste dia não seja para nós um motivo de tristeza e melancolia, mas seja a certeza da alegria plena de todos aqueles que já estão junto de Deus. 
Ofereça flores àqueles que já gozam das alegrias eternas. Eles estão em grande paz e desfrutam da graça de estar na presença de Deus.

In. www.facebook.com/franciscanas 
(Irmãs Franciscanas de Ingolstadt)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Coloque aqui o seu comentário. Deixe sua sugestão, elogio ou reclamação.
Obrigado por fazer este blog melhorar a cada dia!