quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Dia Nacional de Ação de Graças

por Ir. Delva Lozovey, FI

“Demos graças ao Senhor porque Ele é bom: porque eterno é seu amor!” Sl 135,1.

Para universalizar o agradecimento a Deus pelas graças e bênçãos que Ele nos concede, no ano de 1966, o Marechal Humberto Castelo Branco alterou a Lei 781/49, sancionada em 17 de agosto de 1949, pelo Presidente Eurico Gaspar Dutra. Com a Lei 5.110/66, Castelo Branco instituiu que na quarta quinta-feira do mês de novembro, unido a outros países, também o povo brasileiro rende graças a Deus pela generosidade divina que nos abençoa e cumula de bens.
Na celebração do dia Nacional de Ação de Graças devemos nos recordar da presença de Deus em nossa vida como Pai que cuida zelosamente de seus filhos queridos. Recordar a presença de Deus em nossa vida é retomar os fatos e acontecimentos que nos fizeram refletir e perceber que a mão generosa de Deus se fez presente em determinados momentos da vida e que, sem ela, teríamos sucumbido.
A Ação de Graças é uma atitude de quem é agradecido e, que de forma humilde, expressa seu reconhecimento pelo bem recebido.
Ser grato (a) a Deus é “esparramar-se” perante o Criador e exaltá-lo por aquilo que Ele é e realiza em suas criaturas. Só seremos gratos a Deus se alimentarmos em nós uma atitude de humildade, de dependência saudável do Deus que nos criou e nos sustenta. Ser dependente de Deus não significa que temos que “mendigar” algo que não nos é devido. As pessoas “dependentes” de Deus são pessoas livres de si mesmas, são pessoas confiantes, portadoras de fé e de esperança, e por isso são pessoas agradecidas.
Em sintonia com toda a criação, todos os dias deveríamos nos voltar para o nosso Criador e, agradecidos, render-Lhe os devidos louvores pelas graças e bênçãos recebidas de Sua generosidade. Da bondade divina recebemos a vida, a saúde, nossas famílias, os alimentos, as roupas, os bens que possuímos, os amigos, a comida, os remédios, o teto que nos abriga, a segurança, a educação, a inteligência, a criatividades, nossos dons e talentos, a natureza que nos cerca... Só um Deus (Pai) é capaz de nos amar como nos ama o nosso Deus!
Sem sombra de dúvidas, cada um de nós tem uma extensa relação de motivos para louvar a Deus por tudo o que Ele faz e representa em nossas vidas.
Reconhecendo a bondade divina, num coro universal elevemos nossa voz e nosso coração e entoemos com o salmista:
“Cantai louvores ao Senhor, todas as gentes, povos todos, festejai-O! Pois comprovado é seu amor para 
conosco, para sempre Ele é fiel!”. Sl 116

Referência: http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/128821/lei-781-49(23/11/2011, 8h19)


Este texto também encontra-se em: www.facebook.com/franciscanas 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Coloque aqui o seu comentário. Deixe sua sugestão, elogio ou reclamação.
Obrigado por fazer este blog melhorar a cada dia!