sábado, 6 de agosto de 2011

Entrevista

"O SACERDOTE NUNCA ESTÁ SOZINHO"


Pe. Paulo Oldair Welter, mestre de noviços no Seminário Noviciado N. Sra. do Carmo diz que a maior alegria ao exercer o sacerdócio é que a comunidade está sempre junto com o sacerdote, por mais que tenham algum desentendimento por alguma razão com algumas pessoas. 

Confira abaixo a entrevista.


Onde o senhor nasceu?
Nasci em Pérola d’Oeste.

Que trabalho o senhor desenvolve na comunidade além do seminário? O senhor é mestre de noviços, não é?
Sou mestre de noviços e, na medida do que posso, ajudo o pe. Delvair e o pe. Valdecir na Paróquia geralmente no sábado à tarde e no domingo de manhã e nos outros horários tenho compromissos no noviciado. E também batizados, mas outras coisas que precisam, eu ajudo se possível.

O senhor é vigário da Paróquia?
Na verdade eu sou colaborador. O vigário paroquial é o pe. Valdecir.

O que seria exatamente ser um mestre de noviços?
O mestre de noviços é aquele que é encarregado pela congregação para cuidar desta importante etapa de formação que visa preparar os jovens para a consagração religiosa antes dos votos de castidade, pobreza e obediência. Tenho a missão de acompanhá-los individualmente e também coletivamente, conversando com eles, com a ajuda do pe. Valdecir, o provincial pe. Paulo e o pe. Edemar e o irmão Ricardo. É a minha função aconselhá-los, conversar sobre problemas pessoais, dar retiros quinzenais.

Como e quando o senhor recebeu o chamado ao sacerdócio?
Dizer como e quando é bem difícil. Isso vem de muito jovem, diria até mesmo da adolescência. Entrei no seminário com 22 anos, pois minha família passava por dificuldades financeiras. Então, fiquei com a minha família até os 22 anos, trabalhando, ajudando; depois fui para São Paulo trabalhar num restaurante por quase 3 anos e com o dinheiro ajudei a dar estudos para as minhas irmãs e depois deixei tudo para seguir a vida religiosa.

Qual a maior dificuldade e qual a maior alegria que se tem ao exercer o sacerdócio?
A maior alegria é que o sacerdote nunca está só, a comunidade sempre está comigo. Por mais que tenham pessoas que não concordem com algumas coisas, a comunidade nunca abandona o sacerdote. Nunca se é solitário na vida, vivemos em comunidade. Trabalhei sempre em formação, não diretamente em paróquias. Dar aos outros aquilo que recebi, para que sejam bem formados. Para mim a maior dificuldade, está na questão de atender confissões, de estar escutando o que as pessoas têm a dizer e não poder alcançar a mão à elas como eu gostaria de alcançar. Isso eu acho que é a maior dificuldade na vida de um sacerdote.

Qual o caminho que um vocacionado faz até a consagração?
Depende do estágio em que a pessoa esteja quando ingressa no seminário. Quem ainda não fez o Ensino Médio faz a etapa que chamamos de Aspirantado. E os que já terminaram o Ensino Médio fazem o postulantado, que é uma etapa anterior ao noviciado e depois do noviciado faz os votos de pobreza, castidade e obediência e já saem daqui como irmãos religiosos. Depois há o sacerdócio, com as aulas de teologia e filosofia.

Deixe uma mensagem de incentivo para aqueles jovens que desejam seguir o caminho da vida religiosa. 

Bom, acredito assim que a vocação religiosa e sacerdotal é uma vocação na Igreja como o matrimônio é, como tantas outras vocações leigas; e que também não seja nem melhor nem pior, é um caminho, uma escolha que a gente faz, sendo um caminho mais radical que precisa de dedicação total. E, pela vivência que tenho destes anos de vida religiosa; eu digo que vale a pena deixar tudo para seguir este caminho de Deus porque essa renúncia de tudo significa que esta vida não nos pertence, que ela pertence a Deus e a vida deve ser doada para que todos possam servir. Não que essa vocação seja melhor, mas é um caminho, uma escolha e quem nos chama é o próprio Deus para que sejamos seus discípulos missionários. E o apelo que deixo para os jovens é que abandonem tudo mesmo, principalmente aquelas coisas que nos prendem e não nos levam a lugar algum e doem a sua vida para um bem maior.




Um comentário:

  1. espero um dia poder dizer o ''SIM" que devo dar a Ele.

    ResponderExcluir

Olá! Coloque aqui o seu comentário. Deixe sua sugestão, elogio ou reclamação.
Obrigado por fazer este blog melhorar a cada dia!